CCLA terá exposição “O Princípio da Incerteza” de Maneco de Gusmão a partir de 10 de junho

No dia 10 de junho, às 15 horas, o artista plástico Emanuel (Maneco) de Gusmão inaugura a sua Exposição Quantic-Art “O Princípio da Incerteza”, no Centro de Ciências, Letras e Artes (CCLA), em Campinas. O artista vai proferir palestra na ocasião sobre a sua obra, no auditório do CCLA, com entrada grátis.

Maneco de Gusmão é um artista inquieto. Viveu por 14 anos em Paris e, no retorno, criou em Ouro Fino (MG), sua terra natal, a ONG Culturativa e projetou e implantou o espaço “Caixa Preta”. É uma obra de arte utilitária, que consiste em uma casa de 400 metros quadrados e utilizada como residência, galeria, atelier de arte e para oficinas artísticas.

Ele se descreve como um artista multimídia, trabalhando com várias técnicas e utilizando diversos estilos e referências. “Utilizo o material que tenho em mãos, faço pintura, desenho, escultura, gravura, serigrafia, música, vídeo-arte, instalação, interferência no espaço urbano, etc…”, relata.

A fragilidade do mundo contemporâneo, afirma, é uma das características de seu trabalho artístico. “O limite entre o popular e o erudito, o feio e o bonito, o sexo e a castração, o sacro e o profano, a busca do novo e a referência histórica estão implicitas no conceito ‘Barroco Contemporâneo’ ao qual me inspiro e penso ser o conceito que define o Brasil com todas as contradições”, completa.



O CCLA - Centro de Ciências, Letras e Artes é uma entidade cultural particular e sem fins lucrativos fundada em 31 de outubro de 1901, na cidade de Campinas/SP, por um grupo de cientistas, artistas e intelectuais que decidiram criar uma instituição em que se pudessem reunir para o estudo e a produção de atividades científicas e artísticas.