Folclore é tema de exposição na Vitrine Cultural no mês de agosto

Agosto é o Mês do Folclore e este é o tema da exposição na Vitrine Cultural e Galeria de Artes, durante o período de funcionamento do Centro de Ciências, Letras e Artes, de segunda a sexta-feira. Saci-pererê, Curupira, Mula-sem-cabeça e Mãe D´Água são algumas das “estrelas” da exposição, que permanece até o final de agosto. A exposição permite um amplo panorama sobre o folclore, sobre as raízes culturais brasileiras, fruto da mescla de raças, de culturas, de sabedorias diferentes.

Foto: Martinho Caires

Foto: Martinho Caires

O I Congresso Brasileiro de Folclore foi realizado no Rio de Janeiro, entre 22 e 31 de agosto de 1951. No evento foi redigida a primeira Carta do Folclore Brasileiro. Uma segunda e mais nova Carta do Folclore Brasileiro foi publicada em 1995, como resultado do VIII Congresso Brasileiro de Folclore, em Salvador, Bahia, de 12 a 16 de dezembro daquele ano.

A nova Carta do Folclore Brasileiro foi escrita à luz dos novos e amplos estudos realizados no setor e considerando as Recomendações sobre Salvaguarda do Folclore, indicadas pela Unesco no momento da 25ª Reunião da Conferência Geral da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura, em Paris, em 1989.

A Carta do Folclore Brasileiro destaca “a importância do folclore como parte integrante do legado cultural e da cultura viva, um meio de aproximação entre os povos e grupos sociais e de afirmação de sua identidade cultural”.



O CCLA - Centro de Ciências, Letras e Artes é uma entidade cultural particular e sem fins lucrativos fundada em 31 de outubro de 1901, na cidade de Campinas/SP, por um grupo de cientistas, artistas e intelectuais que decidiram criar uma instituição em que se pudessem reunir para o estudo e a produção de atividades científicas e artísticas.